Área do aluno

Mídia / Jornal Fera

Conheça o curso de Ciências do Consumo

21/06/2017

Compreender de forma crítica o consumo, o funcionamento da sociedade e as relações de consumo que nela se estabelecem. Esta é a proposta da nova graduação da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), em Recife, que surgiu em 2017.

O curso tem a duração de 4 anos (8 períodos) e conta com disciplinas como Teorias da Sociologia; Tecnologias e Consumo; Mulher, Gênero e Desenvolvimento; e Direito do Consumidor. Outras matérias mais específicas também compõem a grade curricular, como Química Orgânica; Estudo dos Alimentos; e Arte, Artesanato e Identidade.

A partir do quarto período, o estudante escolhe um dos três eixos de conhecimento ou faz um percurso em que mistura disciplinas de um ou mais eixos:

– desenvolvimento humano;

– alimentos, nutrição e saúde;

– arte, habitação e vestuário.

São ofertadas 80 vagas, e o ingresso acontece por meio do Sistema de Seleção Unificada do Ministério da Educação (Sisu). O curso tem a duração de quatro anos, e o novo profissional será diplomado como consumólogo ou cientista do consumo.

Entre as sua atribuições estão orientar sobre educação e direitos do consumidor; planejar e organizar orçamento doméstico, créditos e investimentos; desenvolver atividades com grupos e instituições socioeducativas; e elaborar e executar projetos e ações de assistência técnica e extensão rural.


Ciências Sociais e do Consumo


A Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), em São Paulo, oferece desde 2015 o bacharelado em Ciências Sociais e do Consumo, que mistura uma forte base de humanas com marketing, pesquisa e gestão. Sua estrutura está baseada em três pilares:

– investigação do comportamento do consumidor e tendências de mercado;

– negócios de impacto social;

– educação, cultura e diversidade.

Além das disciplinas clássicas de Ciências Sociais, como Sociologia, Antropologia e Ciência Política, oferece conteúdos como Neurociências, Psicologia, Estatística, Economia e Comunicação.

Com um vasto conhecimento de consumo, mercado e do ambiente de negócios, os cientistas sociais e do consumo podem atuar em empresas privadas e públicas, institutos de pesquisa, ONGs e associações de direito e defesa do consumidor.


Fonte: Guia do Estudante | Por Lisandra Matias